Justiça confirma depoimento de Lula na quarta-feira

O ex-presidente vai a Curitiba para o segundo depoimento ao juiz Sergio Moro. Por um lado, simpatizantes do petista se organizam para sair às ruas em mobilização coordenada pelas frentes Brasil Popular (FBP) e Resistência Democrática (FRD) e também pelo Fórum de Lutas 29 de Abril. Em maio, o ex-presidente havia pedido, primeiro, que se suspendesse o processo contra ele. O interrogatório será no âmbito da ação que Lula é réu por suposto recebimento de propinas da Odebrecht.

Na Internet circulam informações de que Curitiba terá uma quarta-feira 13 movimentada, com manifestações a favor e protestos contra Lula.

Em 10 de maio deste ano, Lula veio a Curitiba para prestar depoimento a Moro pela primeira vez.

No palaque, lideranças pró-Lula não economizaram em agressões verbais a Moro e pediram "luta" em favor do ex-presidente, afirmando que ela só termina no dia 1º de janeiro de 2019, aludindo a uma eventual posse do seu apoiado como presidente.

Mesmo com a significativa piora da situação política de Lula após o depoimento arrasador de Antonio Palocci à Justiça, a lógica petista é a de insistir publicamente na candidatura do ex-presidente ao Planalto em 2018.

Já o Curitiba contra a Corrupção pretende concentrar ao menos 500 pessoas em frente ao Museu Oscar Niemeyer (MON) a partir das 13h30.

Promessa de quarta-feira quente em Curitiba. No primeiro interrogatório de Lula em Curitiba, o governo do Paraná desembolsou cerca de R$ 110 mil com um grande aparato de segurança. O Ministério Público Federal diz que o terreno foi pago pela Odebrecht com dinheiro de propina, num total de R$ 12,4 milhões.

Edition: