Irma segue para a Flórida depois de afetar Cuba

O Irma, que recuperou a categoria 4 numa escala de 5, desloca-se lentamente para a costa oeste da Florida continental a 15 quilómetros por hora.

Também em alerta estão as ilhas do centro e noroeste do arquipélago das Bahamas - até agora poupado ao pior do furacão - à medida que a tempestade se encaminha para Norte, em direcção à Florida, que deverá começar a ser atingida pelo Irma no domingo. "Esta é uma tempestade catastrófica como o nosso estado nunca viu", avisou, sexta-feira à noite o governador da Florida, Rick Scott. A dimensão e a trajetória da tempestade levaram os responsáveis a ordenar evacuações em ambas as costas da Florida, incluindo alguns dos centros populacionais do estado.

O Irma encontra-se agora a 115 quilómetros de Key West, o ponto mais a sul dos Estados Unidos e move-se a nove quilómetros por hora.

Mas os EUA temem um grande impacto do Irma em Miami, poucos dias depois do furação Harvey destruir o estado do Texas.

Foi a primeira vez que um furacão de categoria 5 atingiu a ilha de Cuba, desde 1932. Espera-se que tal aconteça na madrugada de hoje para domingo. No Brasil, pelo menos 30 voos foram afetados pelo Furacão Irma.

O Irma é o furacão mais poderoso já registrado no Atlântico e deixou pelo menos 18 mortos em sua passagem pelas Pequenas Antilhas e Porto Rico e destruiu a ilha de Barbuda e a parte francesa de Saint Martin.

Na região há outros dois fenómenos: no Atlântico, o José é neste momento um furacão de categoria 4, com ventos máximos de 240 quilómetros por hora e movimentando-se a cerca de 20 quilómetros/hora. No entanto, o centro de furacões norte-americano estima que continuará a perder força nos próximos dias.

No sábado, vários tornados foram observados no sul do estado da Flórida e pelo menos um deles tocou terra em Oakland Park, a 55 quilómetros norte de Miami.

Edition: