Milhares evacuam Florida com chegada de furacão Irma

O Irma havia sido rebaixado para categoria 4, mas, ao atingir Cuba, voltou a ser elevado para o maior nível possível.

O Irma dirige-se agora para a Florida, nos Estados Unidos, onde as autoridades recomendaram a retirada de sete milhões de habitantes, um terço da população do estado, devido à passagem do furacão. "Esta é a tempestade mais catastrófica que o estado já viu", sublinhou o governante. O José está a cerca de 430 quilômetros a leste das Ilhas de Sotavento.

"Se espera que o centro de Irma se movimente através do sul dos Keys da Flórida durante as próximas horas e depois nas proximidades ou ao longo da costa oeste da Flórida", indicou o NHC.

Mas os EUA temem um grande impacto do Irma em Miami, poucos dias depois do furação Harvey destruir o estado do Texas. Segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC), os ventos no centro da tempestade atingiram já os 250 km/h - o que faz dele um furacão de categoria 4 -, esperando-se que ganhe força à medida que se aproxima do Nordeste das Caraíbas, onde deverá chegar durante este sábado.

No entanto, todo o estado da Florida sentirá os efeitos do fenómeno.

Este furacão, o mais poderoso registado no Atlântico, causou pelo menos 18 mortos à passagem pelas Antilhas Menores e Porto Rico, e destruiu a ilha de Barbuda e a parte francesa de Saint-Martin.

O furacão Irma, novamente de categoria 5, tocou terra no arquipélago de Camagüey, no norte de Cuba, na noite de sexta-feira, com ventos máximos de 260 quilómetros horários, segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.

A Latam cancelou 12 voos que tinham como origem ou destino a cidade de Miami programados para os dias 8 e 9 de setembro.A Avianca informou que dois voos para Miami foram cancelados em razão da passagem do Furacão Irma, nos dias 9 e 10.Até o momento, a American Airlines cancelou seus voos com destino a Miami.

Edition: