Voos para Flórida são cancelados pela passagem do furacão

Os voos da American que partem do Brasil para Nova York, Los Angeles e Dallas não serão afetados.

Segundo o jornal O Globo, as pessoas também estão decepcionadas com a falta de apoio do consulado brasileiro na região.

A companhia American Arlines também cancelou seis voos que partiriam na noite desta quinta-feira, 7, dos aeroportos de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Manaus com destino a Miami, na Flórida.

A empresa permitirá que os clientes com voos afetados pelo furacão Irma reprogramem sua viagem sem taxas.

Outros parques temáticos da Flórida também anunciaram mudanças na programação. Alguns, que estão atualmente em Miami, estão receosos de terem que deixar a cidade para procurar um local mais seguro.

Por segurança é recomendável que evitem o uso da via mais direta para o destino em Miami Beach, que incluem: A1A Northbound / Collins Avenue, 41 Street para Julia Tuttle Causeway e 5 Street para MacArthur Causeway a oeste.

- Demorou um pouco mais para conseguir combustível, que está mais caro, mas o grande problema é obter vaga no aeroporto.

Na cidade, conta ele, a apreensão aumenta à medida que chegam às notícias da destruição do furacão no Caribe. Agora, uma das mais poderosas tempestades do Atlântico em um século segue para Flórida, onde deve chegar até domingo.

Formado ao leste do Caribe, o furacão atingiu as ilhas caribenhas na manhã da última quarta-feira, em Antígua e Barbuda. O olho do furacão passou ao norte de Porto Rico no início dessa quinta-feira, deixando quase 70% da população sem eletricidade. A previsão é de que chegue à Flórida neste fim de semana.

Este furacão é o mais poderoso a ameaçar a Florida desde o Andrew, em 1992, também classificado na categoria mais alta deste tipo de fenómenos meteorológicos. O voo faria conexão para as cidades Punta Cana, na República Dominicana; Havana, capital cubana; e Miami. A região está na possível rota do furacão.

- Há muito vento e chuva.

A Geórgia não é impactada por um furacão de categoria 3 ou superior desde 1898. O fenômento bate o recorde do supertufão Haiyan, que gerou, em 2013, nas Filipinas, os mesmos ventos (295 km/h) por 24 horas.

- A maior parte das pessoas ao longo da costa (americana) nunca experimentou um furacão como este.

Segundo Brock Long, os Estados Unidos foram atingidos por um furacão de categoria 5, como o Irma, "apenas três vezes desde 1851" pelo que a maioria da população exposta não tem experiência de um fenómeno com igual intensidade.

Edition: