Joesley tentou gravar Cardozo para implodir STF

O dono da JBS, Joesley Batista, e o executivo da empresa, Ricardo Saud, teriam combinado de gravar o ex-ministro da Justiça Eduardo Cardozo a fim de tentar obter informações que pudessem comprometer ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

No áudio, Joesley e Saud tiram sarro sobre suposta proximidade de Cardozo, Dilma e Cármen Lúcia.

Os dois teriam planejado atrair Cardozo para uma conversa com o pretexto de contratá-lo para serviços advocatícios, com o real intuito de tirar do então ministro informações sobre magistrados do STF para entregar à Procuradoria-Geral da República posteriormente, como elemento da delação. O encontro efetivamente ocorreu, segundo ela, mas ex-ministro não caiu na armadilha: teria feito apenas declarações genéricas sobre os ministros e recusado pagamentos fora das vias regulares.

De acordo com Veja, que conversou com fontes que tiveram acesso ao áudio, uma das menções é considerada "gravíssima" pelos procuradores e as outras devem causar embaraços aos demais.

Os novos diálogos da JBS que provocaram a abertura de um processo de revisão do acordo de delação premiada envolve a conversa de delatores discutindo uma possível gravação do ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo.

"(.) Temos que usar (parte inaudível) Zé Eduardo, pressionar o Zé Eduardo pra ele contar quem é o cara do Supremo", diz Saud. Falei: Marcelo, você quer pegar o Supremo? Eu eu falei pro Marcelo. O Zé vai entregar um ... Vou ligar e chamar ele e falar: Ô Zé, seguinte: você precisa trabalhar com a gente. A única chance que a gente tem de sobreviver. Como é que a gente grampeia? "O Zé vai entregar tudo", diz Joesley, mais adiante.

Edition: