Montadora chinesa quer comprar a Jeep da Fiat Chrysler

Debatidos desde a semana passada, os rumores que apontam para o interesse dos chineses nas marcas do grupo FCA ganharam força nesta segunda-feira (21) após declarações da montadora chinesa Great Wall. "A Great Wall tem um forte histórico em fazer bons lucros". Ainda assim, o pulo que a montadora de Baoding dará será bem maior do que as finanças da companhia permitem, mas a empresa acredita que poderá levantar o financiamento necessário para essa incrível manobra, que sem dúvida colocaria a marca em evidência no cenário mundial, até mais do que a Geely, que comprou a Volvo em 2010.

"Estamos interessados em realizar esta aquisição (.) Vamos atuar de forma séria (para concretizar) nossa intenção de compra", afirmou à AFP uma porta-voz da Great Wall, sétima montadora chinesa.

Mas existem algumas outras informações que estão sendo repercutidas sobre a situação, sendo que aquela que acabou sendo repercutida pela Associated Press afirma que a oferta que deve ser feita pelo grupo chinês deverá ser apenas para a compra da FCA.

Por seu turno, a FCA divulgou um comunicado a dizer que não foi contactada pela Great Wall Motor para comprar a empresa ou somente a marca.

A Great Wall, criada 1984, vendeu mais de um milhão de veículos das marcas Great Wall e Haval no ano passado. As vendas atingiram 1,1 milhões de veículos em 2016, com uma quota de 3,8% do mercado chinês. Apesar de ser uma empresa que ainda não é tão conhecida no mercado ocidental, especialmente nas América do Sul, a Great Wall atualmente está consolidada como a 7º maior montadora da China. Em entrevista concedida à agência de notícias Automotive News, a presidente da empresa, Wang Fengying, confirmou que representantes de ambos os grupos já iniciaram discussões, e que o interesse maior é em adquirir a Jeep - justamente a jóia da coroa do grupo ítalo-americano. Em abril, disse que as marcas Jeep and Ram são fortes o suficiente para sobreviver como negócios separados.

Edition: