Sessenta crianças morrem em hospital da Índia por falta de oxigênio

- As autoridades da Índia investigam a morte de mais de mais de 60 crianças, entre elas vários bebês, nos últimos cinco dias em um hospital do norte do país por uma possível negligência.

Segundo a imprensa local, as crianças morreram depois de a empresa fornecedora de oxigénio ter cancelado as entregas ao hospital em questão, aparentemente por falta de pagamento de facturas no valor de 6,8 milhões de rupias (89.600 euros). "Sessenta pacientes morreram no hospital nos últimos cinco dias, mas não acreditamos que isto esteja relacionado às informações sobre falta de oxigênio", declarou Anil Kumar, representante da polícia de Gorakhpur. "Agora voltamos com o corpo dele".

A região é a mais populosa de todo país e é governada pelo partido conservador Bharatiya Janata Party (Partido do Povo Indiano), o mesmo do primeiro ministro Narendra Modi.

"Yogi Adityanath (chefe de governo de Uttar Pradesh) pediu que se investigue o assunto e garantiu medidas firmes", informou o escritório do dirigente em uma mensagem postada no Twitter.

De acordo com o texto, 23 bebês morreram na quinta-feira, 10, quando "a pressão da alimentação de oxigênio baixou".

Adiantou que os ministros da Saúde do Uttar Pradesh e o da Educação Médica, igualmente o porta-voz do executivo regional, Ashutosh Tandon, vão deslocar-se a Gorakhpur, onde se localiza o hospital Baba Raghav Das Medical College, onde as vítimas mortais se encontravam em tratamento. "Havia várias causas de interrupção no fornecimento de oxigênio, mas nossa pesquisa mostra que ninguém foi morto por causa disso", disse.

O jornal "The Hindustan Times" publicou em sua edição deste sábado as cenas de pânico no hospital quando o fornecimento de oxigênio foi alterado.

Os hospitais públicos indianos enfrentam diariamente grandes constrangimentos e vivem à beira da ruptura: os doentes enfrentam longas filas de espera, mesmo para as intervenções mais simples, e muitas vezes são obrigados a partilhar camas.

Edition: