PMDB afasta dissidentes por 60 dias das funções partidárias

O parlamentar criticou o fechamento de questão do partido a favor de Temer. "Causa espanto o autoritarismo com o que esse posicionamento foi adotado, em postura abusiva, como se a Câmara e seus deputados estivessem subjugado aos interesses de outro poder, na tentativa de subtrair a autonomia e independência entre os poderes concedidos pela Constituição", escreveu. Como punição, os deputados foram suspensos de suas atividades partidárias por dois meses, segundo Josias de Souza, colunista do UOL. Antes da apresentação de seu parecer, o deputado havia dito não temer retaliação do Planalto.

Ele foi o relator do parecer que pediu a admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer. E covarde porque diziam que iam nos expulsar e agora vêm com a suspensão”, rebateu Zveiter em entrevista ao Jornal da Manhã. Daqui a pouco, segue para o diretório estadual do PMDB fluminense para apresentar sua carta de desfiliação. Eleito pelo PSD em 2014, ele havia se filiado ao PMDB na última janela, em março de 2014. Ele ainda não escolheu novo partido.

Segundo nota divulgada pela legenda presidida pelo senador Romero Jucá (RR), a Executiva peemedebista decidiu suspender por 60 dias as funções partidárias dos deputados Vitor Valim (CE), Jarbas Vasconcelos (PE), Celso Pansera (RJ), Laura Carneiro (RJ), Sérgio Zveiter (RJ) e Veneziano Vital do Rêgo (PB). A ele pertencem quadros como o ex-deputado Eduardo Cunha e o ex-governador Sérgio Cabral, ambos presos.

Edition: