Temer é recebido com protesto de caminhoneiros no Mato Grosso

O presidente Michel Temer (PMDB) lançou em Lucas do Rio Verde, a colheita nacional de algodão, na fazenda Cortezia.

O presidente não discursou.

O presidente inaugurou a usina de etanol, a base de milho, construída pela FS, onde foram investidos US$ 115 milhões e é um dos principais empreendimentos do gênero no país.

Mobilizados em mais de seis quilômetros de engarrafamento, os motoristas fecharam o km 686 da BR-163, às 6h03 para expressar "repúdio" e "revolta" com a visita do presidente.

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), irá acompanhar Temer nos eventos. Vários trechos chegaram a ser fechados. A tributação sobre a gasolina subiu R$ 0,41 por litro; a tributação sobre o diesel, R$ 0,21 por litro; e o imposto sobre o etanol, R$ 0,20 por litro.

Os caminhoneiros aproveitam a passagem de Temer para chamar atenção do governo federal, em relação ao aumento nos impostos. O presidente e parlamentares seguiram em dois helicópteros, da presidência, a Lucas do Rio Verde.

Em declaração enviada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Temer disse que "estar no Mato Grosso é estar no Estado que é o maior produtor de soja e algodão do País e, neste ano, deve se tornar também o maior produtor de milho do Brasil, com uma oferta extraordinária de grãos". Os investimentos são de aproximadamente R$ 350 milhões. A expectativa é moer 600 mil toneladas de milho por ano.

A previsão inicial é produzir anualmente 240 milhões de litros de etanol de milho, além de 180 mil toneladas de farelo, 6 mil toneladas de óleo de milho e energia, gerada a partir da queima de eucalipto.

Edition: