Coreia do Norte deve se organizar ou terá problemas — Trump

A Coreia do Norte, avisa agora o Presidente dos Estados Unidos, deveria ficar "muito, muito nervosa" se sequer pensasse em atacar território ou interesses norte-americanos.

A reunião foi convocada pouco depois que a Coreia do Norte repetiu hoje sua ameaça de realizar um ataque contra a ilha de Guam, que aloja duas bases americanas, e afirmou que tem preparados quatro mísseis de alcance médio apontados nessa direção.

É melhor que a Coreia do Norte não faça mais ameaças aos Estados Unidos.

Os planos, ainda segundo a KCNA, passariam por fazer cair quatro mísseis balísticos - que atravessariam espaço aéreo do Japão - no mar a 30 ou 40 quilómetros de Guam.

Os contratos futuros de ouro encerraram o pregão desta quarta-feira, 9, no maior valor em uma semana, em meio ao aumento da tensão entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos. O governo chinês, aliado da Coreia do Norte, denunciou "as palavras e atos" que agravam a situação e pediu calma para evitar uma escalada do conflito. A declaração aconteceu após reportagem do "Washington Post" dizer que o governo norte-americano tem a informação de que a Coreia do Norte produziu uma ogiva nuclear miniaturizada, que poderia ser inserida em seus mísseis.

Essa ameaça surgiu em reacção ao aviso do presidente norte-americano, Donald Trump, de que Washington irá responder com "fogo e fúria jamais vistos" se as ameaças de ataques não cessarem. "É o único país com influência sobre a Coreia do Norte", declarou a política.

"O diálogo sadio não é possível com um sujeito sem razão e apenas uma força absoluta pode funcionar com ele", disse o serviço oficial de notícias KCNA, citando o general Kim Rak Gyom, do Exército popular coreano.

Horas depois, o secretário de Estado, Rex Tillerson, deu, em Guam, declarações que pareceram tentar amenizar a retórica de Trump, afirmando não crer em "ameaça iminente" e que os americanos podem "dormir tranquilos".

"A Casa Branca, o Departamento de Estado ou o Departamento de Defesa estão falando a mesma língua".

Edition: