Novo Banco. Governo e emigrantes lesados chegam a acordo

A informação foi avançada pela própria AMELP - Associação de Emigrantes Lesados do BES, em comunicado divulgado pelas redes sociais.

O governo e o Novo Banco reuniram na terça-feira com a associação de emigrantes lesados pelo BES, tendo apresentado uma solução para a recuperação de até 75% do capital investido por estes em dívida do Grupo Espírito Santo.

A associação que representa os emigrantes lesados pelo Banco Espírito Santo (BES) anunciou hoje o acordo conseguido terça-feira com o Novo Banco e o Governo, que passa pela recuperação de 75% do dinheiro investido dos produtos Euro Aforro 8, Poupança Plus 1, Poupança Plus 5, Poupança Plus 6, Top Renda 4, Top Renda 5, Top Renda 6 e Top Renda 7.

Apesar do acordo agora fechado não prever os investidores do Euro Aforro 10, a associação aponta que também estes devem dirigir-se ao Novo Banco no período referido. Neste caso, a recuperação do investimento poderá ficar abaixo dos 75% acordados para os restantes produtos financeiros, disse à Lusa fonte ligada às negociações.

Os primeiros depósitos serão constituídos com o valor que a instituição vai pagar pelas obrigações do Novo Banco em que os veículos têm as poupanças dos clientes aplicadas. Os emigrantes serão chamados ao Novo Banco "para aceitação das propostas, num processo totalmente acompanhado pela AMELP". A devolução será feita "num prazo médio de três anos", diz o comunicado, que acrescenta que a solução encontrada tem "pequenas variações", que "serão apresentadas nos próximos dias".

Ainda quanto à solução apresentada pela Novo Banco em 2015, então a entidade não apresentou qualquer proposta aos clientes que investiram dinheiro nos produtos EG Premium e Euro Aforro10, argumentando que tal não era possível devido à complexidade do tipo de instrumentos financeiros abrangidos.

A associação adverte para o facto de que "quem não aceitar a solução entre os dias 11 e 28 de agosto, corre o risco de ficar de fora", acrescentando que, "no caso do Euro Aforro 10, os associados devem aderir ao chamamento pois, em princípio, poderão receber, já em outubro, um primeiro depósito parcial (cerca de 15%), correspondente a valores que o Novo Banco encontrou disponíveis no veículo".

"É com grande satisfação que vos informamos ter chegado a um entendimento com o Novo Banco e com o Governo para recuperação do nosso dinheiro", sublinha a AMELP. O próximo passo acontecerá entre 11 e 28 de agosto.

Edition: