MPF denuncia 72 ex-deputados por "farra de passagens aéreas"

O uso irregular, que aconteceu entre 2007 e 2009, foi revelado pelo site Congresso em Foco.

O caso chegou à Justiça em novembro de 2016, por meio de ações penais apresentadas pela PRR1 (Procuradoria Regional da República na 1ª Região) contra 443 políticos. Em parte dos casos, o MPF entendeu que os crimes já estão prescritos.

Por MS, o ex-deputado e hoje vereador por Campo Grande, Antônio Cruz (PSDB), o ex-deputado federal Antônio Carlos Biffi (PT), Pedro Pedrossian Neto (PMB) e Murilo Zauith (PSB) foram investigados pelo Ministério Público Federal. Mais de 13.877 bilhetes vinculados aos 72 ex-parlamentares foram analisados pela Procuradoria, totalizando R$ 8.369.967,69 em gastos para a Câmara Federal. Há casos de ex-deputados adquiriram apenas um bilhete e outros que ultrapassam os 400. O total desembolsado pela Câmara foi de R$ 245,3 mil. 43 ex-parlamentares tiveram mais de 200 bilhetes emitidos em nome de terceiros, durante o período investigado, para viagens a cidades como Miami (EUA), Paris (França) e Buenos Aires (Argentina).

A denúncia já havia sido feita e agora foi ratificada pelo MPF. Os envolvidos poderão ser processados por infrações que configuram enriquecimento ilícito, dano ao erário e violação aos princípios da Administração Pública.

A "farra das passagens" também é objeto de um inquérito em andamento na PR-DF.

Edition: