Estoques de petróleo nos EUA recuam mais do que o esperado

A produção global da OPEP voltou a subir em julho, com os 14 membros da organização a produzirem 32,869 milhões de barris por dia, acima dos 32,696 milhões de barris por dia no mês anterior, segundo os dados do relatório mensal divulgado em Viena.

Na terça, o relatório do American Petroleum Institute (API, uma associação de refinarias) mostrou recuo de 7,8 milhões de barris na semana passada, o que beneficia os contratos nesta manhã, mesmo em meio à tensão entre Coreia do Norte e Estados Unidos.

A suportar estas subidas estiveram aumentos de produção por parte da Líbia, Nigéria (isentos dos cortes) e Arábia Saudita, ao passo que Iraque, Venezuela e Angola registaram diminuição. No caso dos sauditas, os maiores produtores do cartel, a produção ficou pelo segundo mês ligeiramente acima do limite de 10 milhões de barris por dia. Os cortes acordados apontam para uma meta de produção de 32,5 milhões de barris por dia.

Segundo a OPEP, o desequilíbrio entre a oferta e a procura tem-se reduzido ao longo deste ano e no segundo trimestre de 2017 o excesso e produção cifrou-se em 390.000 barris de petróleo.

Para 2018, a OPEP espera uma subida da procura de crude em 1,32%, para 97,77 milhões de barris por dia.

Os estoques de gasolina, por outro lado, aumentaram o equivalente a 3,424 milhões de barris na semana passada, contrariando a expectativa de queda de 1,6 milhão de barris no período.

Edition: