Temer admite que área econômica avalia aumentar alíquota do IR

Impostos devem ter alta a partir de 2018.

O presidente Michel Temer confirmou que a equipe econômica do governo estuda uma nova alíquota de IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física).

A equipe econômica analisa novas cobranças sobre renda acima de E$ 20 mil, lucros e dividendos. Se essa alíquota for coloca em prática, ela seria capaz de reverter aos cofres públicos R$ 4 bilhões a mais em arrecadação nessa parcela da população. As informações são do Jornal O Globo. Com o fim da isenção do Imposto de Renda sobre as LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) e LCI (Letra de Crédito Imobiliário), serão injetados outros R$ 3 bilhões a R$ 4 bilhões na arrecadação.

Outra revisão do governo seria feita na tributação dos fundos de investimento imobiliário - atualmente livres de IR sobre o ganho de capital investido. Os investidores estrangeiros, que hoje são beneficiados por diversas vantagens fiscais, podem ter de desembolsar mais para conseguir lucrar no mercado brasileiro. A tributação sobre distribuição de dividendos já foi assunto de várias propostas de reforma tributária, mas nunca chegou a ser aceita.

Ao ser questionado, na segunda-feira (7/8), sobre a possibilidade de aumentar impostos, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, respondeu de forma vaga. Mas a medida tem o apoio da Receita. Para entrar em vigor, é necessário aprovar um projeto de lei ordinária. Não há um prazo definido, vamos analisar.

A declaração foi feita nesta manhã desta em São Paulo, onde o presidente participou de evento da Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores (Fenabrave). As duas medidas podem gerar R$ 19 bilhões em receitas em 2018, segundo estimativas do governo.

Edition: