Saques de contas inativas do FGTS somam R$ 44 bilhões, diz Caixa

O mesmo ocorreu com o total de trabalhadores com recursos que podiam ser sacados: o número subiu de 30,2 milhões de pessoas para 32,7 milhões.

A Caixa Econômica Federal realizou o pagamento de mais de R$ 44 bilhões relativos às contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Com o fechamento do prazo, 6,8 milhões de pessoas não sacaram as quantias, sendo que, 44% deste grupo tinha direito até R$ 100 e 80% tinha um valor inferior a um salário mínimo. Segundo o banco, 25,9 milhões de contribuintes foram beneficiados com os valores. O montante inicial de R$ 43,6 bilhões foi corrigido pela Taxa Referencial do fundo, de mais de 3% ao ano, e alcançou R$ 49,8 bilhões.

De acordo com o presidente da CAIXA, Gilberto Occhi, o sucesso da ação de pagamento das contas inativas do FGTS é resultado de uma estratégia focada em atender com qualidade os beneficiários da Lei 13.446.

O presidente da Caixa negou a possibilidade levantada recentemente pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, de privatização da Caixa Seguridade ainda no segundo semestre deste ano, o que levantaria recursos para ajudar no cumprimento da meta fiscal deste ano, de um deficit de R$ 139 bilhões. O dinheiro só poderá ser resgatado caso sejam atendidas algumas regras -como em casos de doenças graves ou demissão sem justa causa. Segundo Occhi, é preciso que a pessoal comprove com atestado de internação ou certidão administrativa do presídio. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira pela instituição financeira. "A Caixa tem feito um grande esforço para que a gente possa retomar a economia".

O governo tinha a previsão de que o resgate das contas inativa do FGTS poderia dar um impulso de 0,5% ao Produto Interno Bruto (PIB). Ele contou ainda que 36% do valor foi usado pelos trabalhadores para pagamentos de dívidas; o restante foi para o consumo ou para poupança. Occhi afirmou que a área de construção civil vai ser alvo de melhorias com uma nova linha de financiamento, que será divulgado pelo presidente Michel Temer nesta terça (8) em São Paulo. Além da Caixa, os bancos públicos, oBNDES e BB, vão estar financiando estados e municípios nas parcerias públicas e concessões.Há um movimento de retomada da economia em diversos setores, papel que o governo é o indutor.

Edition: