Indecisos da bancada mineira apoiam em peso arquivamento da denúncia contra Temer

Eles tinham afirmado anteriormente por meio de assessores que votariam contra o governo, mas mudaram de ideia e votaram pelo arquivamento. "Pensando no bem do nosso país, da nossa economia e da credibilidade internacional", repetiu Luiz Nishimori (PR).

Do lado da oposição, 11% votaram a favor de Temer. "Pelo Brasil, sim". O segundo tucano da bancada do Paraná, Nelson Padovani, também votou a favor do relatório.

O parlamentar disse que está indignado: "Não poderia deixar de registrar a minha indignação com o dia de ontem com a votação da Câmara Federal, notem que, por muito menos, sem comprovação, por pedalada fiscal, aquela Câmara Federal cassou o mandato legitimo da presidente Dilma, e não conseguiram provar até hoje, nada que desabonasse a conduta da presidente Dilma, e aí ontem, uma denúncia feita pela Procuradoria Geral da República, onde o Supremo Tribunal Federal acatou essa denúncia e mandou para que a Câmara autorizasse ou não a investigação e a gente vê o descaramento de vários deputados que diziam abertamente, 'deixem ele ser investigado depois', ou seja, 'ele é ladrão, foi pego no grampo, deixe ele roubar até 31 de dezembro de 2018', para depois ele ser investigado, é muita cara de pau", disparou. Os votos favoráveis ao prosseguimento da denúncia somaram 227, menos do que os 342 mínimos necessários.

Christiane Yared (PR) e Sandro Alex (PSD) foram contra os comandos das suas respectivas legendas.

Os partidos dos líderes do governo também não votaram fechados com Temer. Zeca Dirceu (PT) votou contra o presidente Temer também em nome daqueles "que lutam e lutaram contra a reforma da previdência e contra a reforma trabalhista".

"Pela investigação, o meu voto é não ao relatório".

O deputado Rodrigo Pacheco (PMDB) se absteve e o deputado Eduardo Barbosa (PSDB), que perdeu a esposa vítima de acidente de trânsito no início da semana, se ausentou da sessão. Ex-ministro de Temer, Osmar Serraglio não apareceu para votar. "Por isso eu voto sim". Já Hermes "Frangão" Parcianello preferiu tentar uma explicação: "Este é um voto político".

Integrante da bancada rural, Sergio Souza era o único peemedebista do Paraná aparentemente entusiasmado: "O Brasil dá sinais claros de retomada do crescimento, geração de emprego, PIB positivo, balança comercial positiva".

Edition: