Brasil pedirá suspensão da Venezuela do Mercosul, anuncia ministro

"A Venezuela deve ser suspensa definitivamente do Mercosul".

"É intolerável que nós tenhamos no continente sul-americano uma ditadura", escreveu o ministro. "Deixou de ser uma democracia e os direitos humanos são sistematicamente violados", disse.

Os chanceleres do Mercosul se reunirão no próximo sábado (2/8) para decidir sobre a suspensão política da Venezuela do bloco "pela ruptura da ordem democrática" no país, anunciou nesta quarta-feira o chanceler paraguaio, Eladio Loizaga.

A decisão de não convidar a Venezuela à reunião anual das máximas autoridades eleitorais da região, que a OEA organiza desde 2003, foi tomada pela Secretaria Geral do órgão, liderada por Almagro. Participarão os chanceleres de Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai.

Na presidência temporária do bloco, o Brasil convocou reunião extraordinária para discutir a situação da Venezuela após o país realizar eleição para a Assembleia Nacional Constituinte, ocorrida no último domingo (30) e rejeitada por boa parte da comunidade internacional.

A intenção inicial era que a decisão de acionar em definitivo a cláusula democrática acontecesse apenas em dezembro. Em abril, o bloco ratificou a medida e iniciou um processo de consultas com Caracas ao considerar que a ordem democrática foi rompida. Desta vez, a Venezuela pode sofrer nova punição e até ser expulsa por desrespeitar o Protocolo de Ushuaia, que trata dos compromissos democráticos a serem seguidos pelos membros do bloco.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, pediu negociações políticas urgentes entre o governo da Venezuela e a oposição em um esforço para conter a escalada das tensões políticas. "A Venezuela certamente não reconhecerá e não aceitará retaliações que violam as normas do Mercosul", acrescentou.

O Protocolo de Ushuaia é mais duro e prevê inclusive o fechamento de fronteiras, do tráfego aéreo e marítimo, a suspensão total ou parcial do comércio e do fornecimento de energia, se os países assim o desejarem, mas isso não deve acontecer. "A vida dos venezuelanos perdeu o valor".

Edition: