Mulher sofre queimaduras e perde parte do couro cabeludo ao usar química

No total, desde o incidente, ela teve seis operações e passou três semanas no hospital de St. Andrews, Chelmsford, Essex.

Kirsty afirma ter aplicado o produto da forma como orientavam as instruções. A dor era tão forte que eu senti que ia desmaiar. Contudo, após semanas de desconforto, a mulher foi novamente ao hospital, onde lhe diagnosticaram várias queimaduras.

Kirsty, em declarações a um jornal local, disse que "queria um cabelo unicórnio, com uma base branca e depois alguns fios de cabelo em cores diferentes". Então, logo antes que ela estivesse prestes a lavá-lo depois de 15 minutos, ela começou a sentir uma sensação de queimação.

"Fui imediatamente lavar a cabeça, mas naquela altura já tinha entrado no meu couro cabeludo", continua.

No dia seguinte, seu rosto inchou e ela já não conseguia abrir mais um dos olhos. O médico que a atendeu prescreveu antibiótico para tentar conter a reação alérgica, contudo foi em vão.

No dia seguinte, Kirsty foi submetida a cirurgia em Londres (Inglaterra). Depois dessa, ela ainda passou por outros cinco procedimentos, incluindo um em que parte da pele de sua coxa foi utilizada para substituir o couro cabeludo arrancado. Como a pele não contém os mesmos folículos capilares, Kirsty teve de enfrentar o fato de que provavelmente nunca mais terá cabelo naquela zona.

Enquanto a mulher pondera as suas opções, a Fundação Katie Piper financiará uma peruca feita sob medida, para que ela possa cobrir as queimaduras. "Causou-me muito sofrimento e perdi a minha auto-confiança", afirma.

Agora, Kirsty aconselha a não colorir os cabelos em casa e para deixar isso ao encargo de um profissional.

Kirsty Weston, de 29 anos, terá aprendido, da pior forma, que há coisas que jamais devemos tentar fazer pelas nossas próprias mãos.

Edition: