Apática, seleção brasileira é massacrada pela China no Grand Prix

Nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, as asiáticas eliminaram as brasileiras nas quartas de final. Uma China que manteve a base, contra um Brasil ainda em reformulação depois da derrota olímpica.

A seleção feminina de vôlei, comandada pelo técnico Jose Roberto Guimarães, entra em quadra amanha as 8h30 (Horário de Brasilia), em Nanjing na China, abrindo a fase final do Grand Prix de vôlei 2017, justamente para enfrentar a dona da casa e atual campeã olímpica, China. O primeiro desafio do Brasil será a China, às 8h30 (Horário de Brasília), com transmissão ao vivo da TV Globo e do SporTV 2.

A oposta Tandara prevê uma partida dura na estreia da fase final. Além do triunfo sobre as holandesas, o Brasil terá que torcer por uma vitória da China para cima da adversária europeia para avançar às semifinais do torneio. Carol foi outro destaque brasileiro, com 14 pontos.

- Contra times assim, a gente não pode perder a lucidez jamais. Tivemos a oportunidade de treinar a nossa relação entre o bloqueio e a defesa nesses dias que antecederam a fase final e vamos precisar ter um passe melhor. 2-0, 25/17 ||| 3-0, 29/27. Parou o jogo e deu uma bronca generalizada. A Zhu. É o time a ser batido no mundo.

Num ace de Rosamaria, a diferença ficou em um ponto pela primeira vez no set. Forçando bolas pelo meio, a China voltou a controlar o jogo, desta vez sem abrir uma grande margem. Talvez a lucidez citada na entrevista do treinador. Mesmo com as falhas, o time de Zé Roberto ofereceu perigo às donas da casa, principalmente depois do segundo tempo técnico. O nervosismo estava no ar.

Deu certo e os dois primeiros match points foram evitados. Tandara parou no bloqueio em seguida, e a China fechou em 29 a 27 com ataque certeiro de Changning Zhang.

Edition: