Alijó. Dois helicópteros reforçam combate às chamas

Às 19:50, segundo a página da Autoridade Nacional da Proteção Civil, encontravam-se no combate ao incêndio 308 operacionais, 91 viaturas e oito meios aéreos.

Deflagrou durante a madrugada deste domingo, foi dado como "dominado" ao início da tarde mas voltou a preocupar os bombeiros: o incêndio em Alijó tem três frentes ativas e ameaça quatro aldeias.

Devido a essa tragédia, foi detetado que o SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal), tinha falhado, comprometendo a comunicação tão essencial nestas situações.

Segundo a agência Lusa, que cita o comandante distrital de operações de socorro de Vila Real, o acidente aconteceu quando este estava a efetuar os testes de balde na barragem.

O autarca diz que "só recorrendo aos telemóveis é que se consegue comunicar".

Patrícia Gaspar, da Proteção Civil, disse que "houve, durante a tarde, algumas falhas pontuais do SIRESP" e adiantou que foi mobilizada "uma estação móvel que estava preventivamente posicionada no Porto, e que já está no local para garantir o reforço da capacidade de comunicações".

"Quando se estabelece um plano de comunicações num teatro de operações, nunca é feito com exclusividade à rede SIRESP", integrando-se também a ROB, esclareceu, à Lusa.

A aeronave ficou caída junto a uma das margens na barragem. O piloto desligou os circuitos elétricos e a alimentação de combustível e ainda conseguiu sair do aparelho pelo próprio pé.

Uma centena e meia de operacionais, apoiados por 41 veículos, dois helicópteros e dois aviões ligeiros, combateram desde perto das duas da manhã de domingo um incêndio de grandes dimensões em Vila Chã, concelho de Alijó, distrito de Vila Real.

Também durante a tarde, um helicóptero acionado para o combate ao incêndio sofreu um acidente, mas o piloto saiu apenas com escoriações ligeiras, apesar de ter sido levado para o hospital de Vila Real por precaução, afirmou a Autoridade Nacional de Proteção Civil em comunicado.

Edition: