Itália paga 17 mil milhões de euros para resgatar dois bancos

O governo de Itália aprovou este domingo um decreto para resgatar dois bancos italianos à beira da falência, o Banca Popolare di Vincenza e o Veneto Banca, disponibilizando um montante de até 17 mil milhões de euros. O ministro da Economia, Pier Carlo Padoan, disse que o valor total da operação de resgate pode se aproximar de 17 bilhões de euros, já que deve incluir garantias de 12 bilhões de euros para cobrir empréstimos ruins.

Numa primeira etapa, € 4,785 bilhões serão destinados "a manter a capitalização e reforçar a situação patrimonial" do grupo financeiro Intesa Sampaolo, que vai retomar as atividades rentáveis da Banca Popolare di Vicenza e do Veneto Banca, disse Padoan.

Além disso, outros € 500 milhões servirão como "cobertura de garantia".

Em um comunicado divulgado na noite desta sexta-feira, o Ministério das Finanças italiano anunciou que o governo vai se reunir durante o fim de semana para "se assegurar de que as operações bancárias tenham continuidade", além de proteger correntistas e acionistas.

O primeiro-ministro explicou, ainda, que as duas instituições financeiras terão seus ativos divididos em um banco bom e um ruim, e que as firmas estarão abertas nesta segunda-feira. Segundo vários veículos de comunicação, o custo operacional para os contribuintes pode beirar os 10 bilhões de euros.

Ao contrário do caso espanhol, o Mecanismo Único de Resolução europeu afirmou que "não se justifica a adoção de medidas" do ponto de vista do o interesse público, pelo que "a liquidação dos bancos terá lugar no marco de um procedimento nacional iniciado pelas autoridades italianas".

O Intesa Sanpaolo também descartou um aumento de capital no futuro, assim como assumir os créditos duvidosos ou obrigações subordinadas, que são geralmente de alto risco.

Os bancos italianos estiveram na alça de mira dos investidores e das autoridades no ano passado, mas desde então mostraram sinais de melhora, por exemplo com o êxito da política de reestruturação iniciada pelo UniCredit.

Edition: