Responsável autárquico demite-se após incêndio na torre Grenfell de Londres

A primeira-ministra é acusada ainda de descurar no cuidado das vítimas de classes sociais consideradas como modestas, muitas delas oriundas de países estrangeiros, incluindo de Portugal, muito por causa das condições de emergência que existiam.

Depois de ter sido vista no local na noite em que a Grenfell Tower foi invadida pelo fogo, Adele fez questão de visitar o Corpo de Bombeiros de Chelsea, que combateu o incêndio em Londres.

"Exigimos justiça", "Vergonha", "Assassinos", gritaram os manifestantes, que também falaram à primeira-ministra: "Theresa May, é hora de sair".

O ministro para as Comunidades, Sajid Javid, revelou que os sobreviventes da tragédia, ocorrida no bairro de North Kensinton, zona oeste da cidade, vão ser colocados em 68 apartamentos com um ou dois quartos no centro de High Street Kensington, uma das zonas mais seletas da capital.

O bloco onde vão ser realojadas as vítimas do fogo possui um serviço de porteiro disponível 24 horas por dia e uma sala de cinema privada, indica a página digital oficial do promotor do edifício.

May disse que autoridades locais e serviços de incêndio foram informados e que estão tomando medidas para tornar os prédios seguros e informar os moradores.

Sempre discreta em sua atitute, está não foi a primeira vez que a intérprete de sucessos como "Hello", "Hometown Glory", "Don't You Remember" e "Someone Like You" mostrou seu apoio para os afetados pelo incêndio que deixou 79 pessoas desaparecidas e presumidas mortas. As chamas fizeram 78 feridos, dez dos quais em estado crítico.

A chefe do Governo anunciou a decisão na Câmara dos Comuns.

Edition: