Oficial: Agência Europeia do Medicamento vai mesmo para Lisboa

Isto porque, explica o texto, a Candidatura Porto Autêntico apresentou os argumentos a favor da instalação da EMA no Porto "publicamente pela primeira vez", no dia 29 de abril, "o mesmo dia em que o Governo anunciou a intenção" de a trazer para Portugal aquele organismo europeu, tendo exortado a "Câmara do Porto a imediatamente apresentar a sua candidatura".

Segundo a coordenadora bloquista a escolha de candidatar a capital do país para acolher a EMA demonstra "centralismo", apontando ainda o dedo ao argumento apresentado por António Costa.

Na missiva, dirigida ao presidente da Câmara do Porto na passada quinta-feira, e ontem divulgada, o primeiro-ministro diz ser "o primeiro a lamentar não ter sido possível candidatar o Porto porque muito gostaria de também, por esta via, contribuir para reforçar a crescente internacionalização da cidade". O argumento? Por "ser fator de preferência a existência de Escola Europeia, que só Lisboa poderá vir a ter" e pela "conveniência da proximidade do Infarmed".

Costa respondeu assim à carta que recebeu em maio do autarca do Porto, Rui Moreira, quando este quis "mostrar o interesse" em acolher a sede da EMA na Invicta.

"Eu julgo até que se devia decidir que Lisboa não era a melhor opção e depois olhar para as outras cidades do país que estão em condições do fazer, seguindo exemplos de outros países que não concentraram as agências europeias nas capitais, pelo contrário, diversificaram e com isso incentivaram a uma melhor distribuição no território do investimento, conhecimento, emprego, etc", afirmou Catarina Martins, em Guimarães, à margem de uma visita a um bairro social.

A candidatura autárquica Porto Autêntico, uma coligação que une PSD e PPM para as eleições autárquicas no Porto, acusou o primeiro-ministro de continuar a agir como se fosse presidente da Câmara de Lisboa.

De acordo com António Costa, estas outras agências instaladas em Lisboa permitiriam "alcançar o número mínimo de funcionários das instituições europeias necessárias para a instalação da Escola".

Os eurodeputados do PSD Paulo Rangel e José Manuel Fernandes lançaram-se esta terça-feira numa cruzada para travar a decisão do Governo de candidatar apenas Lisboa à sede da Agência Europeia do Medicamento, e incluir na corrida também as cidades de Porto e Braga.

O presidente da Câmara de Braga criticou hoje o Governo e a União Europeia por não ter recebido "até à data" nenhuma informação "concreta" e "rigorosa" sobre quais são os requisitos para acolher a Agência Europeia do Medicamento (EMA).

Edition: