Mais pacífico que Portugal, só a Islândia e Nova Zelândia

A acompanhar Portugal no pódio estão a Nova Zelândia (em segundo) e a Islândia (em primeiro) que ocuparam os lugares que eram antes da Dinamarca e da Áustria.

O Global Peace Index (Índice Global de Paz - GPI) 2017, realizado pelo Instituto para a Economia e Paz (IEP), sediado em Sydney, indica que a pontuação de Portugal subiu duas posições para o terceiro lugar do ranking, consolidando assim a sua posição como um dos países mais pacíficos do mundo.

Foram analisados 163 países ou territórios independentes, sendo que a Islândia mantém-se na liderança (desde 2008), à frente de Nova Zelândia (segundo) e Portugal (terceiro).

O mesmo documento dá também conta que Portugal melhorou em 12 dos 23 indicadores do Índice Global de Paz, nomeadamente nas importações de armas e manifestações violentas.

O Índice Global da Paz (Global Peace Index, GPI) é um ranking criado em 2007 pela revista The Economist, em parceria com a Universidade de Sidney (Austrália), a Universidade de Londres, a Universidade de Upsala e o Instituto Internacional de Pesquisas pela Paz de Estocolmo (estes dois últimos na Suécia).

No fundo da tabela aparecem a Síria, como país menos pacífico pelo quinto ano consecutivo, seguida do Afeganistão, do Iraque, do Sudão do Sul e do Iémen.

93 países verificaram melhorias em matéria de paz, ao passo que 68 pioraram, a turbulência politica nos EU conduziu a América do Norte a um declínio maior do que em qualquer outra região no mundo em termos de tranquilidade.

Apesar do número global de mortes provocadas por atos de terrorismo ter decrescido 10% entre 2014 e 2015, p número de países com pessoas atingidas mortalmente vítimas de atentados disparou para um pico histórico de 23.

Desde o ano passado 93 países registaram altos níveis de paz enquanto 68 pioraram, ainda assim resultando numa melhoria da paz mundial. A melhoria foi impulsionada sobretudo por níveis mais baixos de terror patrocinado pelo estado - execuções extrajudiciais e tortura - e a retirada prévia de forças militares do Afeganistão. A América do Norte teve uma das maiores quedas neste grau de pacifismo - caiu 22 lugares para o 114º lugar, por causa dos conflitos internos, do terrorismo e da criminalidade.

Edition: