Carlos César garante mexidas nos escalões do IRS

"Alocar mais recursos e gerir com inteligência o investimento público"; "manter a trajetória das contas públicas e a reputação da gestão orçamental"; "aliviar no possível o excesso de carga fiscal sobre as pessoas e as famílias, intervindo inclusive nos escalões de IRS"; "continuar a melhorar rendimentos por via remuneratória e pelas prestações sociais"; bem como "melhorar o Serviço Nacional de Saúde", foram alguns dos objetivos assinalados por Carlos César.

Ainda em defesa sobre a utilidade das instituições de solidariedade social, Carlos César referiu-se depois a "um equívoco, a uma espécie de complexo de esquerda, que também passa um pouco pelo PS e às vezes pelo Governo de que as IPSS são instituições em relação às quais deve haver em primeiro lugar reserva e depois um apoio comedido".

E alertou que o partido não se pode esquecer que, apesar dos "bons resultados da governação do PS, vivemos num país com muitas desigualdades" - uma linha de pensamento que o dirigente tem, de resto, adoptado nos últimos dias.

O líder parlamentar socialista e presidente do PS deixou ainda duras críticas à oposição, dizendo que "Passos Coelho apostou e colocou todas as fichas no insucesso do Governo" e que agora "vai tentar mudar de discurso".

O deputado do PSD eleito pelo Algarve Cristóvão Norte considerou "ofensivas e atentatórias para todos os algarvios" declarações do líder parlamentar do PS Carlos César, que criticou o PSD (e, por acréscimo, o BE) por ter decidido realizar as suas jornadas em áreas turísticas para aproveitar o sol que se tem feito sentir.

Carlos César falava na sessão de abertura do segundo e último dia das Jornadas Parlamentares do PS, num discurso com cerca de 25 minutos, o qual dedicou, na parte final, às prioridades do executivo em 2018 e 2019.

Edition: